Um olhar do futuro


Muitas culturas antigas no mundo todo descrevem eventos alarmantes que parecem estar se dando agora. Desenhos, textos e descrições recentemente encontradas parecem ter pertencido ao famoso profeta Nostradamus pode conter a resposta.

 A vida aqui na Terra já enfrentou a extinção pelo menos cinco vezes. Será que é possível interpretar as visões que Nostradamus tinha a fim de compreender e tornar ”reflexo” em ”ação”?

Nosso planeta defronta-se  com crises  de grande complexidade: escassez de petróleo, extinção de espécies, tsunamis mortais, caos econômico, ameaças nucleares, excesso de explorações e destruições naturais.

Estamos nos deparando com pontos críticos em sistemas fundamentais como no sistema de energia, no sistema climático do planeta, há pontos críticos no sistema financeiro, na produção de alimentos, no abastecimento de água, na exploração de matérias primas, no sistema de produção de eletrodomésticos, eletroeletrônicos, brinquedos, roupas, automóveis etc.

Estamos num momento em que todas as crises convergem. O mundo é destruído e renovado ou ambos. É natural que as pessoas sintam uma relação entre nossas tradições culturais e o que alguns acreditam que essas professias estão retratadas nas imagens do livro perdido. Tudo parece se alinhar com o centro da via láctea, um raro fenômeno astronômico que só ocorre uma vez a cada 26 mil anos. ” Metade do ciclo de 26 mil anos coincide exatamente com a última idade do gelo e o fim que se seguiu e o  pior período de aquecimento global foi o derretimento na última idade do gelo. Espero que não estejamos perto dessa magnitude’ disse Lawrence Josefh, autor de Apocalipse 2012 a um depoimento no canal History Channel.

Os Mayas são conhecidos por seus grandes conhecimentos sobre astronomia. O alerta maya diz que o alinhamento do sol e o do centro da galáxia pode trazer terríveis consequências. Esse conhecimento foi retomado por uma série de culturas antigas.

O que está acontecendo agora, em particular com as mudanças que ocorrem na ecologia e nos oceanos, foi previsto por Nostradamus e vários outros profetas.

Como os Mayas e outras culturas ancestrais, Nostradamus examinou as estrelas e enxergou o perigo: ” Haverá grande derramamento de sangue. O céu parecerá injusto. Tanto na Terra como no céu e no ar. Cultos, fome, reinos, pragas e confusão”. Ele previu muitos fatos políticos, religiosos, científicos e invenções.

    

   “… O mundo, quando se aproximar a conflagração universal, sofrerá tantos dilúvios e tantas inundações que não sobrarão terrenos que a água não tenha coberto. E tão logo será esse período de calamidades que tudo perecerá pela água, fora a história e a topografia dos lugares.

       Além dessas inundações, e em seus intervalos, algumas regiões estarão privadas de chuva até tal ponto, com exceção de uma chuva de fogo que cairá do céu em grande abundância e de pedras candentes, que não ficará nada que não seja consumido. E isto logo e antes da última conflagração.

       … Então as imagens do céu voltarão a mover-se, esse movimento superior que nos dá a terra estável e firme. Ela não se inclinará pelos séculos e séculos. …

           De Salon, 1º de março 1555
Michel Nostradamus”

    Carta a Henrique, Rei da França II:

      “… Depois, o grande império do Anticristo começará nos montes ATILA e em ZERFES de onde descerá com tropas incalculáveis, como a vinda do Espírito Santo procedente de 48 graus; mudará de lugar, perseguido pela abominação do Anticristo, que fará guerra contra o grande rei que desempenhará o papel de grande Vigário de Cristo e sua Igreja, em tempo útil e no momento favorável; esse acontecimento precederá um eclipse do Sol, o mais escuro e mais tenebroso jamais visto desde a criação do mundo até a morte e paixão de Jesus Cristo, e desde então até agora; depois, no mês de outubro, terá lugar uma grande translação, a tal ponto que todos pensarão que a Terra teria perdido seu movimento natural e estaria mergulhando nas trevas perpétuas. Antes disso, haverá sinais no ponto vernal. […]

      Em seguida sairá da haste há tanto estéril, e procederá do grau cinco, para renovar toda a Igreja Cristã. E uma grande paz, a união e a concórdia serão estabelecidas entre os povos dispersos e separados por poderes diferentes. E será conhecida tal paz que aquele que erguer e colocar em movimento a facção guerreira contra as diversas religiões será lançado nas profundezas de uma prisão, e o país enraivecido será unificado, depois de se juntar aos bons. […]

      Os países, as vilas, as cidades, as potências e as regiões que haviam abandonado os primeiros caminhos que percorriam a fim de se libertarem serão privadas de sua liberdade, soçobrando num profundo cativeiro, e a religião será completamente perseguida. […] Depois desse grande cão, aparecerá o maior mastim que destruirá tudo, mesmo aquilo que já fora destruído antes dele, depois que as igrejas haviam sido restauradas no seu primeiro estado e o clero reposto em suas funções, depois espalhará o deboche e a luxúria e cometerá milhares de faltas.

       […] Então serão feitas às Igrejas inúmeras perseguições como jamais se viram. E entrementes começará tamanha pestilência que mais de dois terços da humanidade perecerão. A tal ponto que não se conhecerão mais os proprietários dos campos e das casas e a relva crescerá nas ruas das cidades além da altura dos joelhos. […]

       E o Santo Sepulcro ficará durante um longo espaço de tempo abandonado, contemplado apenas pelos céus, sol e a lua. E na Cidade Santa não habitará mais que um pequeno povo, pelo número, mas grande pela sua cultura profana. […]
Segundo a computação astronômica, e relacionada com as sagradas escrituras, a perseguição dos homens da Igreja terá origem no poderio dos Reis Aquilionários unidos aos orientais. E essa perseguição durará onze anos, um pouco menos, e então será derrotado o principal Rei Aquilionário. .[…] E esse Rei cometerá crueldades incríveis contra a Igreja, ao ponto de que o sangue humano correrá nas ruas e nas igrejas, como a água de forte chuva; e os rios próximos ficarão rubros de sangue e, por outro lado, o mar se tingirá de vermelho com uma grande guerra naval […]  Depois, nesse mesmo ano, e durante os anos seguintes, ocorrerá a mais horrível pestilência, que se ajuntará à fome precedente e serão conhecidas grandes tribulações

jamais vistas desde a fundação da Igreja de Cristo, e isso em todas as regiões Latinas, o que deixará traços nas regiões da Espanha. […]

       Depois desse tempo, que parecerá longo aos homens, a face da Terra será renovada com a chegada do Reino de Saturno e do século de Ouro. Deus Criador ordenará, ouvindo a aflição de seu povo, que Satanás seja agrilhoado e atirado no abismo do Inferno, na fossa profunda: começará então entre Deus e os homens uma paz universal […]

[…] Eu poderia ter feito cálculos mais minuciosos e adaptados uns aos outros, mas considerando, oh Sereníssimo Rei, que a censura pode criar algumas dificuldades, retirei a pena do papel durante a calma de minhas noites. Na verdade, oh poderoso Rei de todas as coisas, muitos dos acontecimentos futuros são expressos claramente com bom senso e concisão, mas eu não quis e não pude reunir tudo nesta carta que vos dirijo. […]

       De Salon, 27 de junho 1558
Michel Nostradamus”

Os antigos sabiam como estar em harmonia consigo mesmos, com a natureza, com as formas de vida, em harmonia com todo o cosmos e nós perdemos contato com isso. Cito isso não para fazer com que as pessoas acreditem com toda certeza nas idéias de Nostradamus. Cito para fazer uma referência e resgatar o que esse indivúduo uma vez disse, uma vez previu e muitos de seus fatos estão acontecendo. Não digo que o mundo vai ”acabar” em 2012. Mas é provável que seja o início do fim .  E já está sendo com tantas catástrofes, golpes, explorações etc. Será quando a constelação de sargitário acertará sua flecha no coração da constelação de escorpião. A mudança quer ter valor já!

Chora, implora, se humilha, devora aos poucos o conformismo.

 

 

Parte dessas massas

 


Nesse paraíso canibal  composto por bons selvagens, é cenário de xilogravura alemã na carta escrita por Américo Vespúcio, é relato de franciscanos que por essas bandas passaram e observaram a abundancia de frutas e animais exóticos. É a descrição do ritual antropofágico dos tupinambás. É a plantação de uma Cruz, é a divisa de Vossa Alteza, é a salvação dos homens de caras vermelhas ajoelhadas diante de cristo.

Pindorama guardava o silêncio e sua beleza, mas ela acordou numa manhã movimentada por expedições que desembarcaram suas naus na terra vista e viram uma grande visão de lucro. Porém, nada mais que de repente, veio um furacão de desilusão que tomou conta dos pensamentos ambiciosos.

 Nessa terra que não possuía metais preciosos nem especiarias, exploradores não viram de muito proveito, exceto uma infinidade de árvores de Pau Brasil. Então todo um silêncio virou descrições e Cartas, expedições e mais gritos… Mesmo assim viram nessa terrinha um berço de matérias primas, e também um berço para abrigar uma família Real.

Hoje nessa avenida um samba popular passará por vozes, narrando o suor daqueles antepassados que ergueram grandes Catedrais, daqueles que ergueram grandes Casarões, daqueles que construíram essas avenidas grandes, daqueles que transformaram cana em ouro, daquelas minorias que ouviu um dia, olhou e fez muito barulho por um país livre e sem limites para se manifestar, das grandes florestas que foram implacavelmente Derrubadas e 1 milhão de escravos foram trazidos da África ou do Nordeste, os grandes capitais, encontraram nova ocupação, cidades novas foram sendo erguidas, novas e novos latifúndios criados e fortunas foram criados quase que da noite para o dia.

É Vera Cruz, não é brinquedo não!

E da capoeira, feijoada, o jongo, dos batuques veio também o samba, o axé que desceu o morro, as favelas e trouxe uma grande epidemia que tomou conta dos brancos com alma de índios, com alma de negros, com alma de brasileiros!

Não comemos carne na quaresma, mas sentimos a própria carne, no abraço, no beijo, no calor humano.

Das mentes provincianas restam exceções que ainda insistem em serem diferentes e têm vergonha da própria origem patriorizando outras bandeiras, outros valores… Como diz Vinicius de Moraes:

”… Pátria minha…

Ostenta A minha pátria não é Florao, nem
Lábaro não; a minha pátria é desolação
De caminhos, a minha pátria é terra sedenta
E praia branca; a minha pátria é o grande rio secular
Que bebe nuvem, come terra
E urina mar…”

Mais do que a mais garrida a minha pátria tem
Uma quentura, um querer bem, um bem
Um libertas qual será também
Que um dia traduzi num exame escrito:
“Liberta que serás também”
E repito !…”

Temos o grande poder de vestir a nossa camisa, de abraçar o seu próximo e cantar a história de um país de mulatos, de miscigenados, de homens com caras vermelhas.

Vamos cair nessa avenida

Axé